Uma das poucas certezas que posso te dar 

 

 

Acontece que tem gente que, não importa o quanto façamos por onde, nunca vai levar a sério o suficiente. É que tem gente que não vale o tempo. Tem gente que não vale o esforço. E, pior ainda, tem gente que finge valer tudo isso.

Não adianta fugir, você ainda vai encontrar alguém assim por aí. A depender da sua sorte, mais de uma vez inclusive. Não importa o quão maduro, evoluído ou blindado você se considere, você provavelmente não vai conseguir escapar assim fácil. Provavelmente não vai nem se dar conta da situação em que está se metendo até que seja tarde. E você vai quebrar a cara. E sinto informar, vai doer. E você vai se perguntar por que, depois de enfim ter se permitido se entregar, tudo acabou assim.

Mas por favor, não se culpe por isso. Não deixe que isso te torne alguém fechado a novas oportunidades. Não deixe que isso te faça uma pessoa amarga que só pretende ferir os outros. Acima de tudo, não deixe que isso te impeça de ver o quanto essas decepções são necessárias.

Pouco a pouco a gente se recupera, vai se reerguendo e aprende que não há melhor forma de lidar com isso que cuidando de si mesmo. E é só assim que um dia pode aparecer alguém que valha tudo aquilo.

“Quando a mente muda a gente anda pra frente…”

tumblr_lnmjem9IXr1qe7c7io1_500

Acordei com o barulho da chuva na janela. O “friozinho” que fazia só me deixava com mais vontade de passar o resto do dia embaixo do edredom. Não sei se é assim com todo mundo, mas dias chuvosos sempre me fizeram refletir. Eu, que já falei tanto sobre mudanças, me peguei mais uma vez analisando todas pelas quais já passei.

Uma das mais perceptíveis de uns bons meses pra cá foi a de deixar alguém ir. Finalmente me libertar de algo que me fazia mal e que hoje posso olhar de longe (ou até mesmo de perto) e desejar verdadeiramente o bem. Que não insista em voltar a ser presente, mas que fique bem. Engraçada essa situação, de não se afetar mais com algo que já foi uma parte tão importante na vida. E o motivo que me leva a desejar discorrer sobre isso (correndo o risco de soar repetitiva) é somente porque, por um momento, nunca pensei que fosse chegar a esse ponto.

Mas o tempo, que todos dizem ser tão generoso (e pra provar isso basta olhar umas fotos da minha infância) realmente se encarrega de mostrar quem vale a pena, e quem – parafraseando Fernanda Estellita -, depois de já ter feito mal, dificilmente voltará a fazer bem. Mas, mais importante ainda, é que o tempo dá a maturidade necessária pra aceitar essas coisas.

Parei pra pensar também (e pra tentar aceitar) que, sabe, eu sinto falta desse “querer alguém”. Temos essa mania ridícula de esconder sentimentos e insistir em joguinhos, mas no fundo, por mais fria que uma pessoa seja, “querer alguém” traz consigo sensações únicas que, nem que seja no começo, nos fazem o maior bem do mundo.

O melhor sobre essas mudanças é justamente a sua constância. Ontem acordei extremamente satisfeita. Hoje acordei com vontades. Amanhã, quem sabe, posso começar a realizá-las, e o tempo vai me ajudar a descobrir como.

O tempo de cada um

20140702-203134.jpg

A verdade é que a vida não para esperar que fiquemos bem. As pessoas que vivem ao nosso redor também não. Toda vez que acontece algo de ruim ouvimos aquele básico “vai dar tudo certo, agora é bola pra frente e você vai se dar bem” e pronto, as pessoas acham que isso é o suficiente pra que você se recomponha e volte a viver como se nada tivesse acontecido.

Querem que você ande pelos mesmos lugares, fale com as mesmas pessoas, ouça as mesmas musicas e não lembre de nada do que se passou. “Já foi, acabou, você vai ficar bem, agora esqueça isso que eu preciso conversar sobre qualquer besteira”. Acontece que o que não faltam são pessoas te dando palpites sobre a vida, o que você deve fazer, a quem você deve ou não dar uma chance, quando na verdade elas esquecem que quem vai colher as consequências é você, e nem sempre elas estão ali pra ajudar.

Posso parecer meio dura, mas acho que, apesar de conselhos serem bem-vindos, as decisões são minhas porque quem vai ter que conviver com as consequências delas no futuro sou eu. E, se em algum momento eu precisar tirar mais que 20 minutos pra superar alguma coisa, eu vou fazer isso, apesar de todos esperarem o contrário. Dá licença, mas às vezes pra me entender eu preciso curtir a minha tristeza.